Os filhos são a nossa continuidade nesta vida e por isso devemos ter a certeza de que cabe a nós a missão de preservá-los o máximo possível do impacto que uma separação causa em suas vidas.

Não há a necessidade de que eles sejam o único assunto importante nesse período de turbulência, mas fingir que eles devam aceitar a situação como uma coisa trivial é como tapar o sol com a peneira, colocar a poeira debaixo do tapete das nossas responsabilidades!!!

Por geralmente não terem a compreensão da situação, acabam sofrendo as consequências da separação, e, geralmente, os sentimentos de culpa e abandono são frequentes em suas cabeças.

Primeiramente é preciso deixar bem claro para eles que a ruptura do casal não é culpa deles e conscientizá-los de que, apesar de passarem a viver em ambientes separados, poderão contar com a presença e o carinho de ambas as partes, mesmo que a estrutura familiar tradicional não mais exista…

Vai-se o casal, ficam os filhos …. 

Evitar discussões na frente das crianças é, no mínimo, primordial. Os pais devem agir como adultos e tomar decisões conjuntas, tentando usar a mesma fala e juntos responderem às perguntas dos filhos sobre a separação. Planejar o maior número de visitas, em especial nos períodos iniciais e manter o contato com os familiares de ambos os lados também os farão sentir acolhidos e integrantes de uma família. É importante, principalmente, engolir a raiva e as minivinganças na hora em que o único desejo é falar mal um do outro na frente delas.

Saibam que todas as vezes que as crianças ouvem um dos pais falar mal do outro, elas se sentem pressionadas a tomar as dores de um deles (mesmo que não falem nada) e, por consequência, carregarão a culpa por ter tomado partido de um dos lados!

Pedir ajuda a amigos ou procurar terapia em casal ou individual para pais e filhos são ações que podem ajudar muito nesse período…

FONTES:

Adolescência e divórcio parental: continuidades e rupturas dos relacionamentos

Guarda compartilhada: uma análise de seus efeitos na família em casos de dissolução litigiosa

10 dicas INFALÍVEIS para seus FILHOS não sofrerem na SEPARAÇÃO!