Com os ”nervos à flor da pele” e com a ”cabeça no mundo da lua”, é imprescindível que respiremos fundo antes de qualquer atitude que gere grandes arrependimentos principalmente no quesito finanças!!! É extremamente importante nesse momento otimizarmos nosso dinheiro, poupando o máximo possível, evitando gastos extras e desnecessários até que saibamos com certeza como evoluirá todo o processo da separação….

Seja Racional

Mesmo estando com o emocional abalado, cheio(a) de ressentimentos a primeira dica é … pense bastante e reflita várias vezes antes de tomar uma decisão de onde será investido determinada quantia, quais resultados que esse gasto/investimento trará, pondere tudo evitando surpresas e arrependimentos do tipo – “Ahhh  porque fui tão impulsivo “.

Busque informações precisas

Invista em uma analista financeiro ou procure ajuda profissional de alguém que realmente conheça quanto custará o processo de separação… divórcio. Temos que ter em mente que os custos são baseados na proporção aos valores dos bens envolvidos.

Escolha qual melhor forma para essa separação

Lembrando que o divórcio litigioso é na maioria das vezes o de maior investimento financeiro e emocional porque envolve um maior número de pessoas, especialistas e profissionais além de evoluir mais lentamente na solução e exigir maior número de documentações.

Tente dialogar

Não são todos que conseguem fazer isso com os atuais ex conjugues, porém é hora de conscientizar que os gastos existirão em ambas as partes …. então é altamente recomendado dialogar e procurar as melhores formas de como poupar o dinheiro e tempo dos dois lados. Se existir essa conversa entre os envolvidos, antes da busca por advogados para questões financeiras melhor ainda, pois geralmente quanto mais a situação caminha para solução judicial mais custosa se torna.

Observação: Mas não resolva nada antes de saber sobre seus direitos e deveres !!!

Conte com profissionais especializados

Profissionais em psiquiatria e psicologia são aliados certeiros para que possam te orientar e acalmar a situação de forma geral, trilhando melhores caminhos para que esse momento doloroso seja menos problemático, ajudando a manter a calma, aliviando tensões e frustações que são elementos que atrapalham e muito na hora de pensar sobre o dinheiro.

Advogados também são essenciais para dar andamento no processo, mesmo que decidam pelo acordo consensual, esteja sempre amparado (mesmo à distância) para que as coisas não tomem um rumo diferente do acordado.

Lembre-se que dívidas também entram na negociação

Geralmente quando falamos da parte financeira em uma separação só pensamos na divisão dos bens e patrimônios, esquecendo de gastos e dívidas (algo muito comum hoje em dia) que também são elementos que entram nessa negociação.

Faça inventário pessoal de itens e objetos de valor

Alguns objetos como relógios, joias, obras de arte e coleções são também parte dessa negociação uma vez que adquiridos juntos fazem parte da união e devem ser colocados nessa conta. Uma dica que pode ser crucial é ter os recibos de compra, ou ao menos fotografá-los caso haja receio de que os mesmos possam desaparecer. 

Consulte seu nome na praça

É recomendado checar se seu nome e CPF estão limpos na praça obtendo um comprovante disso datado no ato da pesquisa, evitando assim eventuais problemas que possam envolver seu nome durante o processo muitas vezes demorado de separação. Lembre-se de “pecar pelo excesso é melhor do que penar pela falta dele”.

Disvincule-se imediatamente

Se no âmbito pessoal você já está desvinculado(a), porque permanecer com vínculos na parte financeira? Isso mesmo, assim que é tomada a decisão definitiva de separar-se, feche contas conjuntas, cancele cartões de crédito e debito que sejam do casal e criem novos e individuais o mais rápido, possível evitando problemas atuais e futuros. De preferência seja honesto e avise a decisão…

Altere suas senhas

É importante lembrar-se de alterar senhas de e-mails, contas de sites de compras e muitas outras que fazem parte do dia-dia…

Lembre-se que seu estilo de vida vai mudar, então programe-se pra isso

Tudo que se dividia em dois agora será para cada um .No início, até que você se adapte à nova realidade e consiga ter uma visão melhor de como é viver sozinho com seus consumos e gastos diversos, a dica fundamental é economizar o máximo que puder, poupar até que tudo esteja novamente no eixo.

Despesas futuras

Devemos ressaltar que além dos gastos com documentos, cartórios e profissionais envolvidos em todo processo devemos pensar e muito nas despesas posteriores a ele, uma vez que recomeçar é a etapa seguinte. Não somente sobre pensões e investimentos ligados a filhos e dependentes (caso possuam), mas também nova moradia, novo estilo de vida e nova renda única, que antes somada e dívida em dois agora se torna individual. Muitos sentem nessa fase um stress profundo, mesmo porque ainda temos muitos cônjuges que vivem (viviam) com as rendas do companheiro (a).

Sobre moradia e aluguel durante e pós separação

É importante sabermos que a questão de moradia é algo que influencia tanto na hora de se separar, quanto no pós separação uma vez que ajustes financeiros iniciais são necessários para que não se perca as rédeas da situação. Cada País possui suas regras e no Brasil a Lei que rege é a N*8.245 também conhecida como Lei do Inquilinato que promove a relação entre locador e locatário (em caso de separação a mesma faz efeito ). É importante saber de início que existem várias formas desta lei ser aplicada como por exemplo se no divorcio o imóvel da família é próprio e um dos envolvidos continuará morando no local, esse irá pagar metade do aluguel ao outro?; ou também se caso o imóvel for locado quais obrigações que o casal ainda em senso comum deverá arcar … Dentro dessa Lei prevalece também o direito a preferência caso um dos conjugues opte por permanecer e haja um consenso disto por ambas partes. Claro que com a ajuda de um profissional especialista na aérea tudo fica mais fácil…

Caso você precise encontrar um novo lar, ressaltamos a questão de planejar antes e fazer uma análise para que não aconteça de dar um salto maior do que a nova perna. Na maioria das vezes por mini vingança, aparência ou até mesmo para mostrar que ”estou por cima da carne seca” acabamos optando por alugar ou até comprar imóveis mais caros e chamativos do que poderíamos sustentar e com passar do tempo aquela sensação de vitória momentânea se torna um verdadeiro tormento insustentável do ponto de vista econômico .

Economia inteligente

Economizar é uma tarefa complicada para a grande maioria das pessoas nos dias de hoje e por esse motivo muito se fala em economia inteligente em todos setores. Seguem algumas dicas novas e outras para relembrar que farão toda diferente para ajudar nesse modo de poupar inteligente, facilitando e direcionando melhor seu dinheiro, gastos e investimentos pessoais e financeiros…